22 outubro 2009

O PODER DO ENSINO LIBERTADOR


Dirigiram-se para Carfanaum e, assim que chegou o sábado, tendo entrado na sinagoga, Jesus passou a ensinar. E todos ficavam maravilhados com o seu ensino, pois lhes ministrava como alguém que possui autoridade e não como os mestres da lei. Mas, naquele exato momento, levantou-se na sinagoga um homem possuído de um espírito imundo, que vociferava: “O que queres de nós, Jesus Nazareno? Vieste para nossa destruição? Conheço a ti, sei quem tu és: o Santo de Deus!”.  Mas Jesus o repreendeu severamente: “Fica quieto e sai dele!”. Então, o espírito imundo, sacudindo aquele homem violentamente e gritando com poderosa voz, saiu dele. Todos ficaram atônitos e assustados perguntavam uns aos outros: “O que é isto? Novo ensinamento, e vejam quanta autoridade! Aos espíritos imundos Ele dá ordens, e eles prontamente lhe obedecem!”.  Assim, rapidamente as notícias sobre a sua pessoa se espalharam em várias direções e por toda a região da Galiléia. (Mc 1.21-28)

O ministério terreno de Jesus foi marcado pela proclamação, ensino e libertação. Ele proclamou as boas novas do Evangelho, ensinou os princípios do Reino de Deus e libertou cativos.
O ensino da Palavra sob a unção de Deus gera libertação.
“Jesus era conhecido como mestre ou Rabi, que quer dizer instrutor ou professor. O ministério de Jesus foi marcado pela importante missão de ensinar, pois percorria todas as cidades e povoados, ensinando nas sinagogas, no templo, no monte, até num barco, pregando o evangelho do reino e curando toda sorte de doenças e enfermidades”. (Pastor Alcione Alves, www.wnsinodominical.com.br)
“O QUE É ENSINAR. “Ensinar”, segundo o Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa, é “repassar (a alguém) ensinamentos sobre (algo) ou sobre como fazer (algo); doutrinar, lecionar”; “transmitir experiência prática a; instruir (alguém) por meio de exemplos”; “tornar (algo) conhecido, familiar (a alguém); fazer ficar sabendo”; “dar lições a; instruir”; “mostrar (a alguém) as conseqüências ruins de seus atos”; “mostrar com precisão; indicar”. A palavra vem do latim “insigno”, cujo significado é “’pôr uma marca, distinguir, assinalar”.( plenitudedivina.wordpress).
Ensino, Aprendizado, Instrução, Formação, Direção, Desenvolvimento.

Jesus ensinava por parábolas. Mc 4.2
O que Jesus falou sobre o ensino dos escribas. Mc 12.38-40
Os que ensinam na igreja devem se dedicar ao ensino. Rm 12.7
Tudo o que foi escrito foi escrito para nosso ensino. Rm 15.4
A tríplice recomendação do apóstolo Paulo a Timóteo. 1 Tm 4.13: Leitura, exortação e ensino.
Recomendações referente aos que lidam com a pregação e o ensino. (1 Tm 5.17)

O objetivo do ensino não é causar boa impressão, mas transformação. Parece que as pessoas presentes na sinagoga gostavam da boa oratória a ponto de elogiar o estilo de pregação de Jesus.
Não importa o quanto o orador seja eloqüente, o mais importante é que suas palavras promovam mudanças e edificação para os ouvintes.
Não fique admirado, impressionado com as coisas que você ouve. Constate se essas palavras vêm de Deus e transforme a sua vida com essas palavras.
Cuidado com o tipo de comparação que você faz entre um pregador e outro. Não permita que sua preferência te faça resistente a qualquer outro tipo de expressão.
Se os que te ensinam parecem com os escribas, cuidado. Busque o ensino de Jesus.

O ensino que não promove transformação deve ser abandonado. Ficaram impressionados, maravilhados da sua doutrina, mas será que o ensino fez efeito neles?
Antes de abandonar considere o seguinte:
O ensino não está promovendo transformação na sua vida porque quem ensina não te proporciona isso ou porque você não tem se interessado o suficiente?
Até que ponto você não é resistente àquele que te ensina? Resistir à pessoa que ensina cria uma barreira/ fortaleza entre você e ela.
Sua resistência pode ser resultante de uma influência maligna... Cuidado, portanto com o que diz.

O efeito do ensino de Jesus:
Os que estavam presentes ficaram maravilhados, mas o espírito imundo resistiu e se opôs ao ensino do Mestre. Pôs-se contrário à verdade que estava sendo ensinada.
O problema é que muitas pessoas não querem aprender, não querem ser instruídas, formadas, educadas... Porque estão influenciadas por demônios.
O espírito imundo que gera resistência sabe que vai ser “destruído”.

Vivemos hoje uma grande resistência ao ensino
Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino: prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina. Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas. (2 Tm 4.1-4).


Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres, os quais introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição (2 Pedro 2.1).

QUAIS SÃO AS RESISTÊNCIAS QUE DEVEM SER DESTRUÍDAS PARA QUE O ENSINO DE JESUS TENHA EFEITO EM SUA VIDA:

A desobediência ao que Jesus ensinou. Mt. 28.19
Falta de interesse.
Orgulho pessoal.
Preguiça.
Falta de compromisso.
Dificuldades de receber o novo.
ASPECTOS GERAIS SOBRE O PODER DO ENSINO LIBERTADOR

O conhecimento da verdade liberta (João 8.32).
A exposição da palavra traz luz (Sl 119.130).
Até os juízes da terra são chamados à instrução (Sl 2.10).
Os que não aceitam a instrução são comparados a cavalos e mulas que precisam de cabresto (Sl 32,8,9).
O efeito da instrução para a vida (Pv. 22.6).
A supremacia da instrução sobre o falar em línguas (1 Cor 14.19)
A influência do diabo sobre os que não querem ser instruídos. (2 Tm 2.24-26).
A influência da instrução
da Palavra de Deus (2 Tm 3.16,17).
Conclusão.
Considerando que o ministério de ensino foi valorizado por Jesus tome a decisão de aprender dele sempre. “aprendei de mim” (Mt 11.29).
Estabeleça a meta de ler e estudar a Palavra de Deus diariamente. Aristóteles disse: “Somos o que fazemos dia a dia. De modo que a excelência não é um ato, mas um hábito”.
Comprometa-se com aqueles que ensinam: Torne-se um discípulo.
À medida que você aprende, comprometa-se a repassar o que aprendeu.

Josenilton Pinheiro





Nenhum comentário: