22 agosto 2016

CONHECENDO O DEUS DO CÉU

https://files.acrobat.com/a/preview/ca70625a-3041-4cf3-a849-fe55c5591f5f

CONHECENDO O DEUS DO CÉU.

Lucas 11:1-13, Lucas 18:1-8

Se sua vida fosse inteiramente governada por Deus seria diferente?

É difícil sustentar hoje a ideia de que não existe um ser superior, é difícil negar a existência de Deus; porém, muitos mesmo admitindo a existência de Deus, acham que Deus não interfere na sua criação. Acham que Deus criou o mundo e deixou ao cuidado do ser humano e o ser humano tem que se virar para viver sem a interferência de Deus. Isso é um erro tão grande quanto negar a existência de Deus.

Deus não abandona Sua criação, nós é que rejeitamos ao comando de Deus e decidimos governar nossas vidas e nosso mundo, por isso vivemos nessa bagunça.

Jesus quando veio a essa terra deixou claro, através de sua vida, como seria a vida de alguém totalmente submissa a Deus; alguém governado por Deus. Convivendo com Jesus seus discípulos ficaram admirados com Ele várias vezes, e pediram-Lhe que os ensinasse várias coisas, uma delas foi orar (Lc. 11-1).

Orar é aproximar-se de Deus, conversar com Deus, conhecê-lo melhor. Se não aprendermos a orar corretamente nunca conheceremos a Deus verdadeiramente (Mt. 6:9-15).

Para conhecermos a Deus precisamos:

1) Arrependermo-nos.
Precisamos arrependermo-nos de ter desprezado o governo de Deus e pedir perdão a Ele por o termos desprezado.

Quando você faz coisas contrárias a vontade de Deus você o está desprezando. Alguns desprezam tanto a Deus que não sabem nem qual é a vontade de Deus hoje. Arrependa-se.

2) Renunciar ao nosso controle sobre a nossa vida.

Estar arrependido por ter desprezado a Deus é o início, mas só isso não adianta nada se você não permite que Deus seja seu Senhor (que Deus controle sua vida). Sem entregar sua vida a Ele para que Ele seja seu Senhor sendo submisso(a) a Ele, você continuará desprezando a Deus. Entregue o controle da sua vida a Deus.

3) Confiar em Deus.
No texto de Lucas 11 e Lucas 18 Jesus insiste com os discípulos sobre o perseverar em oração, sem desanimar. Só insiste em algo que acredita. Se confia em Deus para cuidar de você, insistirá em permanecer submisso(a) a Ele, esperando em Deus.  Precisamos aprender a confiar em Deus como Jesus.

Conclusão: Você gostaria que algumas coisas mudassem em sua vida? Por quê não deixa governar você? Gostaria de ser uma pessoa como Jesus?

Você quer entregar sua vida a Deus? Que deixá-lo governá-la? Levante a mão, vamos orar.




Este Guia de Estudo refere-se ao décimo segundo Estudo da série REFORMA E EXCELÊNCIA  com o objetivo de facilitar o ensino bíblico nas células da Igreja Rhema Ministério Apostólico.Texto de Apóstolo Jonas Fernandes - http://www.mib12.com.br/#!conhecendo-o-deus-do-cu/c23ci

15 agosto 2016

O PODER DA ARMADURA DE DEUS

O poder da armadura de Deus
Base Bíblica: Efésios 6. 11-18

Versículo para memorizar: “Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdes permanecer firmes contra as ciladas do diabo” (Ef.6.11).

Para refletir: “Nada – absolutamente nada – é mais poderoso do que Jesus” (Larry Lea).

I.     Com a armadura espiritual o cristão vence as ciladas do diabo
A armadura espiritual a que me refiro é a mesma que o apóstolo Paulo chama de “armadura de Deus”.
Só há uma forma de o cristão permanecer firme contra as ciladas do diabo: Se revestindo da armadura de Deus (11).
O objetivo final do cristão se revestir com a armadura espiritual é tornar-se firme contra as ciladas do diabo.
O desejo de Deus é que seu povo viva permanentemente revestido com as armaduras espirituais.

(5 razões pelas quais todo cristão deve se revestir da armadura de Deus)
1.  É a única forma de vencer as ciladas do diabo.
2.  É uma ordem apostólica: “fortalecei-vos no Senhor
É uma forma de o cristão reconhecer que depende de Deus. O segredo? Não confie em suas próprias forças, dependa exclusivamente de Deus.
3.  Exige ação. Prática -revesti-vos”. O que muitos cristãos não sabem é que, não é suficiente apenas saber das coisas. É necessário colocar em prática aquilo que se sabe. Tiago disse: “E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos a vós mesmos” (Tiago 1.22).
4.  Todo cristão que se reveste da armadura de Deus terá como recompensa a capacidade de permanecer firme contra as ciladas do diabo.

II.     Com a armadura espiritual o cristão resiste no dia mau (13)
Só há uma forma de o cristão resistir firme no dia mau: Tomando a armadura de Deus.
O que significa “o dia mau”?
Ray Stedman no seu livro Batalha Espiritual cita: “Precisamos permanecer firmes no dia mau. Isso dá a entender que nem todos os dias são maus! Há períodos, ao longo da vida, em que pressões fazem-se sentir mais intensas, quando os problemas se tornam insolúveis, quando tudo parece precipitar-se contra nós, tudo ao mesmo tempo. A períodos assim difíceis foi que Paulo chamou de “dias maus”. Algumas vezes, isso envolve um único dia, outras vezes, uma semana, ou vários meses. Graças a Deus, porém, nem todos os dias são assim perigosos. Nem sempre estamos sendo pressionados, nem sempre temos que nos defrontar com circunstâncias apertadas, que exigem decisões agoniadas, pela urgência das coisas. A razão pela qual nem sempre estamos debaixo de pressão é que a graça de Deus interfere. Não fora a graça divina, que opera sempre para restringir os poderes malignos que se voltam contra nós, permitindo assim tempos de refrigério, prazer, recreação e bênção, todos os nossos dias seriam continuamente maus”1.
O objetivo final de o cristão tomar a armadura de Deus é a capacitação para resistir no dia mau e permanecer firme (13).

(4 coisas que todo cristão deve saber sobre a armadura de Deus)
1.  Não deixe chegar o dia mau, nem situações difíceis, para então buscar forças em Deus. No tempo de calmaria, busque o revestimento da armadura espiritual.
2.  Não tema as ameaças do diabo nem a ameaças circunstanciais. “Uma das armas favoritas do diabo é a intimidação. Ele prepara esquemas, ameaça, amedronta e acusa, com o fim de desencorajar-nos e inibir-nos. Mas nós temos uma armadura. Possuímos nossas armas e atacamos o inimigo que nos ameaça2.
3.  Não acredite nas suas emoções. Pela obra de Cristo na cruz do calvário fomos justificados e podemos ter equilibradas as nossas emoções e desfrutar a paz (Romanos 5.1). David Wilkerson disse: “Se você não possui esta verdade, o diabo vai brincar com suas emoções, com o intuito de enganá-lo e jogá-lo de um lado para o outro. A menos que você tenha este fundamento e sustente tudo o que acredita, nada funcionará com sua doutrina, teologia e crença”.
Suas emoções passam. A Palavra de Deus permanece para sempre! (Isaias 40.8).
4.  Decida memorizar as seguintes palavras:
4.1.    Cingir os lombos com a verdade;
4.2.    Vestir a couraça da justiça;
4.3.    Calçar os pés com o Evangelho da paz;
4.4.   Tomar o escuda da fé;
4.5.    Tomar o capacete da salvação;
4.6.    Espada do Espírito;
4.7.    Oração e súplica.

Conclusão: “Oremos e concordemos em que você jamais se esquecerá de que toda a armadura de Deus é sua melhor defesa e seu melhor ataque contra o diabo.”3

Josenilton Pinheiro.

Notas:
1 – Ray Stedman, Batalha Espiritual; Editora Abba Press; pg. 13; 1993 SP
2 – Thomas Trask & Wayde Goodall; A Batalha, Editora Vida, 1999 pg. 37

3 – Larry Lea – As armas da sua guerra; Editora Vida, 1993; pg94;

08 agosto 2016

A ALEGRIA DE SER PERDOADO (Parte 2).



A alegria de ser perdoado (parte 2).

Texto Bíblico: Lucas 15.11-24
INTRODUÇÃO: No estudo anterior falamos sobre as atitudes do filho que saiu de casa de uma forma impensada e inconsequente: Pediu a herança, partiu para uma terra distante e desperdiçou tudo dissolutamente. É o retrato de todas as pessoas que abandonaram Deus e se entregaram aos prazeres transitórios do mundo.
Hoje veremos como foi grandioso o amor do pai ao receber de volta seu filho. É um retrato de como Deus o nosso Pai nos recebe toda vez que, arrependido, nos voltamos para Ele.

A DEMONSTRAÇÃO DO AMOR DO PAI POR SEUS FILHOS

Quatro coisas marcaram a atitude do pai com relação ao filho pródigo. São também demonstrações de Deus para aqueles que se arrependem e voltam para Ele:
  1. O pai o aguardou. Deus sempre nos aguarda. Desde quando o filho saiu de casa o pai tinha a esperança de que seu amado filho voltasse. Deus ainda espera que seus filhos perdidos voltem para a sua presença. Ele está pronto para recebê-los.

  1. O pai se compadeceu. A compaixão de Deus é uma expressão de sua natureza perdoadora. Por isso nunca devemos nos entregar a um sentimento de culpa e de indignidade. Ainda que sejamos indignos, Ele é cheio de compaixão.


  1. O pai abraçou e beijou seu filho. O verdadeiro amor tem demonstrações. A prova do amor que aquele pai tinha por seu filho foi demonstrada quando ele abraçou e beijou o seu filho. Talvez você nunca tenha recebido esse tipo de demonstração do seu pai aqui na terra, mas Deus o seu Pai celestial te ama e quer te receber em seus braços. Ele já demonstrou seu grande amor enviando seu único Filho para morrer no nosso lugar (João 3.16).

  1. O pai deu provisão. O perdão do pai foi acompanhado de provisão. O filho recebeu vestes novas, sandália nos pés e anel no dedo. Significa que Deus o nosso Pai, além de nos perdoar, está interessado em suprir também nossas necessidades básicas.

AS TRES ÁREAS DA RESTAURAÇÃO DO FILHO:

1.  No relacionamento familiar. Ele foi restituído à família pelo contato pessoal. Relação familiar é uma relação de contatos, de intimidade. Na nossa relação com Deus não pode ser diferente. Nosso retorno a Ele tem que ser um retorno de relacionamento.

2.  Nos direitos de filho. Os direitos dos filhos de Deus são roubados pelo pecado (Is. 59.1,2), mas, quando nos arrependemos estes direitos são restituídos. Hoje Ele quer restituir o seu direito de filho.


3.  Na alegria. A alegria é fruto do Espírito Santo em nós Gl. 5.22. A alegria é fruto de salvação (Salmos 51.12). Se há alegria no céu porque não pode haver na terra? (Lucas 15:10) -  Assim vos digo quealegria diante dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende.

CONCLUSÃO: Um filho perdoado receberá a melhor roupa.
Um filho perdoado receberá um anel como selo da reconciliação e da autoridade. (Gl. 5.1).

Um filho perdoado receberá uma grande festa.

05 agosto 2016

Como se Morre de Velhice

Como se Morre de Velhice


Como se morre de velhice 
ou de acidente ou de doença, 
morro, Senhor, de indiferença. 

Da indiferença deste mundo 
onde o que se sente e se pensa 
não tem eco, na ausência imensa. 

Na ausência, areia movediça 
onde se escreve igual sentença 
para o que é vencido e o que vença. 

Salva-me, Senhor, do horizonte 
sem estímulo ou recompensa 
onde o amor equivale à ofensa. 

De boca amarga e de alma triste 
sinto a minha própria presença 
num céu de loucura suspensa. 

(Já não se morre de velhice 
nem de acidente nem de doença, 
mas, Senhor, só de indiferença.) 


Cecília Meireles, in 'Poemas (1957)' 

01 agosto 2016

A ALEGRIA DE SER PERDOADO

https://files.acrobat.com/a/preview/a44e2aa7-5af4-4da8-9c76-3b70802e2977

A ALEGRIA DE SER PERDOADO

INTRODUÇÃO: Falar sobre perdão nos faz mais parecido com os céus, pois foi por esse motivo que Jesus veio ao mundo: “para livrar o seu povo dos seus pecados” (Mt. 1.21). Procure entender à luz da Palavra de Deus que o perdão é a manifestação da graça de Deus ao homem para que este seja literalmente salvo.
O objetivo deste estudo seRrá o de mostrar que o maior fruto do perdão é a alegria.


Esta parábola representa duas coisas muito importantes:

1.       A pessoa de Deus como o Pai cheio de compaixão, amor e perdão.
2.       A pessoa dos filhos que arrependidos voltam para a casa paternal.

AS ATITUDES DO FILHO QUE SAIU DE CASA

1.  Pediu a parte da sua herança – O pai não reteve o que era do filho embora não tenha sido a hora de herdar seus bens.
Sua vida é assim. Se você quer usufruir dela Deus até permite, porém o desejo Dele é que você esteja na Sua presença (em casa) e não longe.

2.  Ajuntou tudo o que era seu e partiu. Ele teve o cuidado de juntar tudo o que lhe pertencia e foi para longe, “a fim de afastar-se da vigilância e disciplina do pai”. Essa atitude rebelde do filho mostra que existe muita gente assim, que, para esconder os seus erros, se afasta do seu pai, de seu líder, de seu pastor etc. e vai para uma terra distante onde comete as maiores atrocidades contra Deus e sua palavra. Quanto mais perto de casa o filho estiver, menos erros cometerá.

3.  Desperdiçou a sua fazenda vivendo dissolutamente. O cuidado que ele teve em ajuntar tudo o que tinha não foi o mesmo na administração da herança. Dissolutamente é a maneira de administrar sem responsabilidade.

ATITUDES DO FILHO AO VOLTAR PARA CASA

Quatro coisas marcaram o retorno do filho pródigo ao seu lar paternal. Estas coisas também precisam acontecer na vida daqueles que querem voltar aos braços de Deus.

1.  O arrependimento.  A expressão do versículo 18 determina o arrependimento do filho que disse “levantar-me-ei e irei ter com meu pai”.
2.  A confissão de seu erro e indignidade. A atitude que mais assegura uma pessoa arrependida é quando ela faz confissão.
3.  A entrega total. A disposição do filho arrependido foi tão grande que não importava se ele seria recebido como filho ou como servo. Para ele o importante era uma entrega sem reservas ao Pai.
4.  A conversão. O termo “levantando-se foi” consolida a mudança de vida daquele filho.

Conclusão:

1.  Você reconhece quais os pecados que comete contra Deus?
2.  Está disposto a: arrependido voltar para Deus?

3.  Entenda que não se trata de ser merecedor ou não, mas da graça perdoadora do Pai que te ama. Volte pra Ele hoje, agora.

aAp. Josenilton Pinheiro.