14 abril 2012

De Charles Wesley sobre a morte de um amigo…



De Charles Wesley sobre a morte de um amigo…


Se meu amigo e eu a morte separar,
Não repreendas, Senhor, o meu pesar,
Nem olhes com desagrado as lágrimas que vês;
Comedido, sem excesso apaixonado
Dá-me lamentar serenamente angustiado
Por aqueles que descansam em tuas mercês.
Sinto uma forte e imortal esperança,
Que sustém meu espírito pesaroso
Sob o fardo montanhoso;
Da morte, do pesar e da dor redimido
Logo encontrarei outra vez
Nos braços de Deus meu amigo.
Que passem mais uns poucos momentos fugazes
E a morte as bênçãos vai restaurar,
Aquelas que a morte tinha arrancado;
Para mim a intimação tu mandarás,
E o amigo apartado de volta me darás
Naquele dia eterno.

Extraído do livro Celebração da Disciplina de Richard Foster, Editora Vida.

Nenhum comentário: