27 junho 2016

FAÇA DA SUA ADVERSIDADE UM MILAGRE

https://files.acrobat.com/a/preview/df3f1a5d-37a0-4901-8021-8e0078c8176b

Título: FAÇA DA SUA ADVERSIDADE UM MILAGRE

Base Bíblica: Marcos 2.1-12.

Versículo para memorizar durante a semana:      Eu te mando: Levanta-te, toma o teu leito e                                        vai para a tua casa. Marcos 2.11.

Verdade central: Não confunda falta de iniciativa com falta de decisão. A falta de decisão é não escolher o que fazer e a falta de iniciativa é decidir e não fazer.


Introdução: No mundo de competitividade como o nosso precisamos ser zelosos para que os princípios de excelência que aprendemos através da bíblia sagrada não sejam roubados da nossa vida. Precisamos de força e vigor para sustentar a melhor qualidade de vida que merecemos como filhos de Deus e para isso temos que tirar nosso caminho e do nosso histórico os inimigos da excelência e fazer das adversidades milagres em nossa direção.

Os principais inimigos da excelência que se opõem a nós são:

1.  A falta de iniciativa. Não confunda falta de iniciativa com falta de decisão. A falta de decisão é não escolher o que fazer e a falta de iniciativa é decidir e não fazer.
Na decisão não temos ideia das adversidades que encontraremos pelo caminho, na iniciativa teremos que enfrenta-las. É comum no início de cada ano as pessoas tomarem a decisão de fazer alguma coisa. As academias lotam por aqueles que querem perder alguns quilos, as faculdades são procuradas pelos que querem recomeçar seus cursos, e não passa muito tempo para alguns desistem. Por quê? Porque elas tomaram a decisão de fazer, mas lhes faltou a iniciativa de enfrentar as adversidades de sua decisão.

O que vemos neste texto bíblico? Homens que tomaram uma decisão: Levar um paralítico até Jesus. Eles não imaginavam das adversidades que teriam que enfrentar por causa da decisão. Quando tiveram que enfrentar a multidão tomaram a iniciativa de criar modos de chegar até Jesus. Iniciativa é a atitude de não se render diante das adversidades, é acreditar que existem modos de se chegar aonde se quer chegar.
Não adianta justificar suas decisões, elas só terão sentido se você tiver iniciativa.
Na prática: Decidiu conhecer a Europa? (Decisão). Tire o passaporte. (Iniciativa).
A falta de iniciativa é uma cruel inimiga da excelência. Mova-se da cadeira e comece a fazer alguma coisa!

2.  A falta de criatividade. Este episódio narrado por Marcos é uma lição de como as pessoas criativas tem mais chances na vida. Imagine quatro homens que carregaram um paralítico terem a fantástica ideia de criar um elevador humano pra levar o homem até Jesus! Fantástico!
Como não ser criativo no meio de uma multidão egoísta que nem se quer teve sensibilidade para ceder lugar a um paralítico? Cada um parecia cuidar dos seus próprios interesses medíocres e entupiram a porta de entrada da casa impedindo o acesso dos mais necessitados.
Conheço gente que diante desse quadro desistiria na hora, demonstrando assim a sua mediocridade. Porém, aqueles quatro homens se parecem com muitos outros que também conheço que não choram na primeira esquina quando tem que enfrentar uma adversidade.
A multidão está nas filas de empregos, nas faculdades, nas grandes empresas etc. O que fazer pra vencer essa multidão? Seja criativo.




3.  A falta de fé. Neste episódio Jesus viu a fé que eles tinham. A falta de fé é um inimigo da excelência. Aqueles quatro homens só tiveram êxito por causa da fé que tinham em seus corações. Não se deixe roubar por esse inimigo porque sem fé é impossível agradar a Deus (Hb 11.6).

4.  O medo do novo. Os mestres da lei ficaram indagando o porquê das declarações de Jesus. Eles tinham medo do novo. Se você não se abrir para o novo vai ficar com as coisas velhas. O novo a que nos referimos é o novo excelente, é o novo de Deus para o seu povo. Não tenha medo de receber em Deus a novidade de vida, pois quem está em Cristo Jesus é nova criatura, as coisas velhas já passaram e eis que se fizeram novas (2 Co 5.17).

5.  O conformismo. Conformismo é “sistema de conformar-se com todas as situações, passividade”.
Os quatro homens não se deram por conformados diante das adversidades. Não foram passivos por causa da multidão na porta. Eles foram ágeis e mudaram o quadro deixando para nós esse exemplo de fé e determinação.

6.  A mediocridade Houve mediocridade naqueles que ficaram à porta e não cederam o lugar para uma pessoa especial, e houve também mediocridade na vida daqueles homens da lei que indagaram a Jesus pelo perdão ministrado ao paralítico.
Se você for medíocre ficará a contemplar a ação dos excelentes e a única coisa boa que vai fazer é dizer: “Nunca vimos coisa igual”.

Conclusão: Busquem em Deus forças para vencer esses inimigos da excelência e projetem-se em Deus como vencedores.

“Aquele que começou em vós a boa obra há de aperfeiçoa-la até o dia de Cristo Jesus” (Fil 1.6).


Josenilton Rosa Pinheiro

Nenhum comentário: