29 julho 2007

O PREÇO DO PERDÃO

Texto: Lucas. 7.36-50

Uma pessoa que tem experimentado o verdadeiro perdão não tem restrição alguma para se relacionar com o Senhor Jesus.

O texto de Lucas 7. 36-50 caracteriza dois tipos de pessoas ou comportamentos quando do serviço prestado ao nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.
Diferente do modo como julgamos as pessoas: Pelos seus temperamentos sanguíneo, melancólico, fleumático e colérico o texto narra o comportamento de Simão e o comportamento da mulher pecadora. É um retrato do nosso comportamento em relação a Jesus e aos seus interesses.
I. O COMPORTAMENTO DE SIMÃO
1. Estar com Jesus e servi-Lo de maneira indiferente.
1.1 Uma relação sem vibrações
1.2 Uma relação sem intimidades
1.3 Uma relação sem doações
1.4 Uma relação sem sensibilidades.

II. O COMPORTAMENTO DA MULHER PECADORA

2. Estar com Jesus e servi-Lo de maneira extravagante
2.1 Uma relação vibrante, sem restrições e sem medos.
2.2 Uma relação de intimidades. “Beijar os pés de uma pessoa era sinal de profundo respeito. E, indubitavelmente, de humildade da parte de quem beijava.”
2.3 Uma relação doadora: Estava menos para receber e mais para dar.

“O fariseu se apressa a tirar ceras conclusões que traem as suas pressuposições. Visto que um homem bom como Jesus certamente não iria permitir que uma mulher daquele tipo o tocasse, ele não devia estar sabendo que espécie de pessoa era ela. Consequentemente, ele não podia ser um profeta, pois um homem com os dons de um profeta discerniria o caráter dela”.
“Quinhentos denários representa os pecados da mulher; cinqüenta, os pecados de Simão. Este é o quadro visto do lado do homem e não de Deus. Todos estão desesperadamente endividados. Alguns se enganam, tentando crer que seu pecado não é tão grande, em comparação com o dos outros. Essa parábola também ensina que Deus não é como os homens, exigindo esperamente o contrapeso de cada um em relação aos pecados cometidos. Ele perdoa livremente os pecados dos homens”.
“A atitude de Simão para com Jesus é verificada quando ele deixa de lhe oferecer as comodidades sociais aceitas na época; água para lavar a poeira dos seus pés; o beijo de saudação e o óleo para ungir a cabeça, como gesto de honra”. (Comentário Bíblico Broadman – Juerp, pág. 91).
Simão “tinha convidado Jesus para comer em sua casa, porem, não com qualquer desejo de ouvi-Lo ensinar, pois já estava satisfeito com o seu conhecimento sobre a lei. Também não tinha qualquer desejo em particular de honrá-Lo como se O estimasse profundamente. Ao censura-lo, Jesus lembrou a sua negligencia com relação aos precipícios mais corriqueiros da hospitalidade judaica”.
“Simão não ofereceu óleo para ungir a cabeça nem beijou Jesus como gesto de saudação, amizade e paz. Esse beijo era um sinal de reverencia e sujeição mesmo entre os demais povos antigos. Todas essas coisas faziam parte do procedimento normal de cortesia de um lar oriental.
Simão havia negado a água necessária para os pés santos, porem, sujos, de Jesus”, mas a mulher derramou lágrimas sobre os pés do Senhor.
· O primeiro ato: Lavar os pés do Senhor e enxugar com os cabelos;
· O segundo ato: Beijar os pés do Senhor;
· O terceiro ato: Ungir os pés do Senhor.

Aplicações:
· “Se somos perdoados, então sentiremos amor e devoção por aquele que nos perdoou”. (Todas as parábolas da bíblia, Ed. Vida, pág. 296).
· Lourenço Olson disse que “foi o ato mais significativo com que aquela mulher pôde demonstrar o seu amor e a sua apreciação pela pessoa de Jesus”.

E você como tem demonstrado seu amor e devoção pelo Senhor?

Ponha em prática

Ainda hoje.

Pr. Jó

Nenhum comentário: