20 janeiro 2009

TRÊS FUNDAMENTOS BÍBLICOS PARA GERAR GRANDES CONQUISTAS


Referência bíblica necessária. Gênesis 12.2

“Eu farei de ti uma grande nação, abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome”.

Da definição: Base, alicerce, sustentáculo.

Justificativa: A necessidade de se estabelecer fundamentos para gerar grandes conquistas se dá pela certeza de que estas conquistas não serão perdidas. Ou seja: O fundamento é lançado para sustentar o que nele se edifica, o que se constrói.
Se você construir um grande edifício sobre um alicerce preparado para uma casa esse edifício vai desmoronar. Sua estrutura é para uma casa e na para um edifício.
Por isso a nossa vida deve ser edificada na pedra fundamental chamada Cristo.
“... vós também, quais pedras vivas, sois edificados como casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, aceitáveis a Deus por Jesus Cristo. Por isso, na Escritura se diz: Eis que ponho em Sião uma principal pedra angular, eleita e preciosa; e quem nela crer não será confundido”. (1 Pedro 2.5,6).

Grandes conquistas podem ser obtidas com facilidade ou não. Uns conquistam com grande sacrifício. Outros sem nenhum esforço. Todavia, para se reter a conquista é necessário o estabelecimento de fundamentos para garantir a sua permanência.
Tudo o que se conquista sem fundamentos se perde. De nada vai adiantar construir uma casa na areia, sem fundamentos que a sustente.
“Mas todo aquele que ouve estas minhas palavras, e não as põe em prática, será comparada a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia. E desceu a chuva, correram as torrentes, sopraram os ventos, e bateram com ímpeto contra aquela casa, e ela caiu; e grande foi a sua queda”. (Mateus 7.26,27).
De acordo com este texto, não lançar fundamentos é insensatez.
Virão chuvas, correrão as torrentes, soprarão os ventos e baterão contra a nossa vida. Se não estivermos firmados em Cristo, a nossa casa vai desmoronar.

TRÊS CONSELHOS NECESSÁRIOS PARA SE LANÇAR FUNDAMENTOS
Primeiro conselho: Decida trabalhar muito por lançar os fundamentos daquilo que você quer conquistar. Trabalhe o quanto for necessário.
Conta-se que um grupo de turistas estava em um vilarejo na Europa, quando um deles perguntou a um senhor idoso do lugar: “O senhor sabe se por acaso nasceu algum homem importante neste lugar?”. O velho respondeu: “Não senhor, só bebês”.
Moral da história: “Qualquer pessoa que tenha sido bem sucedida em qualquer coisa teve que se escorçar para isso”.
Segundo conselho: Recuse-se a aceitar produtos de origem duvidosa. Use o produto certo, em outras palavras: Não fuja dos padrões bíblicos de conquista. Cuidado com o “jeitinho brasileiro”. Evite atalhos.
Terceiro conselho: Lance o fundamento de acordo com aquilo que você quer construir.

PRIMEIRO FUNDAMENTO: Entender que todos os recursos necessários para a conquista já estão em você.
“Eu farei de ti uma grande nação”.
A declaração de Deus a Abrão vai para além de uma simples declaração. É a revelação ou a chamada a reconhecer o potencial que Abrão tinha; um poder impregnado nele que fora dado por Deus. Isto nos leva a uma grande lição: De tudo o que precisamos para gerar conquistas Deus já colocou em nós em potencial as condições necessárias.
Para um homem de 75 anos de idade a perspectiva e aceitação desta promessa seriam remotas se Abrão olhasse para a condição humana. Assim acontece conosco. Quando olhamos para as impossibilidades humanas, deixando de acreditar no poder criativo de Deus em nós, fica difícil aceitar como verdadeiras as promessas dele.
Deus colocou o poder de crescimento e multiplicação em Adão e Eva. Por isso disse: “...frutificai e multiplicai-vos; enchei a terra e sujeitai-a; domine sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra” (Gênesis 1.28).
O mesmo poder de crescimento e multiplicação foi dado a Noé: “Frutificai e multiplicai-vos e enchei a terra” (Gênesis 9.1).
O poder para fazer discípulos de todas as nações está na igreja. “Portanto, ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-s em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a observar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos” (Mateus 28.19,20).
Tudo de que você precisa para vencer, você já tem: “Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé (1 João 5.4).
Tudo o que você precisa para ser suprido, você já tem: “Meu Deus suprirá as vossas necessidades segundo as suas riquezas na glória em Cristo Jesus” (Filipenses 4.19).
Tudo o que você precisa para ser curado, você já tem: “Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e esmagado por causa das nossas iniqüidades. O castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados” (Isaias 53.5).
“Um dos maiores pecados que cometemos contra Deus é o de não atingirmos o potencial que Ele colocou em nós”1.
“E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus” (Romanos 12.2).
A vontade de Deus equivale aos recursos que Ele tem nos dado.
Pense em algo que é da vontade de Deus para você. Ele já colocou em você os recursos necessários para você fazer sua vontade. Porem, se você não utilizar esses recursos eles perderão a razão de sua existência.
Entendendo que Deus já colocou em nós todos os recursos necessários para gerarmos grandes conquistas, consideremos:
De tudo o que temos e de tudo o que somos só não conquistamos se não quisermos. Tudo de que precisávamos para desenvolver uma liderança exitosa, Deus já nos tem dado.
Todo alimento para se ter uma vida espiritual equilibrada, Deus já nos tem dado.
Todos os recursos financeiros necessários para os empreendimentos do momento, Deus tem nos dado.
O que precisamos fazer frente a este relatório é utilizar corretamente os recursos que Ele tem nos dado.
“Pois ao que tem, dar-se-lhe-á, e terá em abundancia; mas ao que não tem, até o que tem, lhe será tirado (Mateus 13.12).
Em outras palavras, se não utilizarmos corretamente os recursos que Ele tem nos dado, esses recursos serão tirados. O que você prefere. Utilizar para receber mais ou perder o que tem?

SEGUNDO FUNDAMENTO: Entender que uma conquista só pode ser chamada de conquista se tiver a bênção de Deus.
A segunda palavra de Deus a Abrão foi: “Abençoar-te-ei”.
Para produzir grandes conquistas é necessária a bênção de Deus:
“Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, a imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; domine sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, e sobre todo animal que rasteja pela terra” (Gênesis 1.27,28).
“PARE DE PEDIR A DEUS QUE ABENÇOE O QUE VOCÊ FAZ E PASSE A FAZER O QUE DEUS ABENÇOA”.
A bíblia fala de situações e pessoas que chegaram a um nível de conquista sem a bênção de Deus.
A construção da torre de Babel. Gênesis 11
O jovem rico. Lucas 18.18-22. Existem pessoas que não abrem Mao do que tem por nada, nem mesmo para seguir a Jesus.
Em Deuteronômio 28 fala das bênçãos de Deus como resultado da obediência à sua palavra.
Em Provérbios 10.22 fala da bênção do Senhor que enriquece e que não acrescenta dores.
Em Efésios 1.3 fala que já fomos abençoados com toda sorte de bênçãos espirituais.

TERCEIRO FUNDAMENTO: Entender que há poder no nome.
Nosso nome abre portas ou fecha portas.
Quando Deus prometeu a Abrão: “engrandecerei o teu nome” não estava se referindo a fama.
Quantas pessoas são famosas, mas os seus nomes não são respeitáveis.
Deus faz com que nosso nome seja respeitado no céu e no inferno.
Nosso nome deve ter um poder de influencia.
Nome engrandecido é nome respeitado.
Nome engrandecido é o toque de Deus em nosso caráter.

Josenilton Pinheiro
1- (John Maxuell. Seja tudo o que você pode ser; Editora Sepal; 2002; pag.45.


Nenhum comentário: