05 novembro 2007

Dor de mãe



Vai meu filho, vai sob o mover desse rio
Te tiro dos meus braços e te coloco no berço dessas águas
Nelas estás mais seguro, pois o Deus de Israel proverá para ti milagres. Vai meu filho,
Vai sobe o mover desse rio
E se por desventura estas águas te imergirem
Saibas que contigo vai uma mãe que já foi imersa nas águas da angustia e das tristezas por não poder ter no colo o fruto de suas entranhas.
Vai meu filho,
Vai para os braços daquele que te criou por alguma razão,
Razão que desconheço e que só me faz sofrer.
Vai meu filho.


"Não podendo, porém, escondê-lo por mais tempo, tomou para ele uma arca de juncos, e a revestiu de betume e pez; e, pondo nela o menino, colocou-a entre os juncos a margem do rio" (Ex.2.3).


Josenilton Pinheiro

Nenhum comentário: