20 novembro 2007

O QUE TEU PASTOR TE ACRESCENTA?



Este texto é uma daqueles que chamo auto-explicativo. Por si mesmo ele se explica. Não é um texto difícil de ser entendido. Pedro diz como o pastor não deve e como deve apascentar o rebanho de Deus.
Lendo ou ouvindo este texto temos a tendência de achar que é um texto para pastores, apenas para aqueles que estão na liderança e parece que os que são apascentados, liderados ficam à mercê esperando que um pastor com tais características se manifeste e de alguma forma os abençoe.
Nenhum cristão deveria aceitar a liderança de um pastor que não atenda a estes requisitos. Ou seja: Se ele te apascenta por força, por torpe ganância e como dominador você passa a ser cúmplice por permitir ser apascentado por um individuo desse tipo. Se ele pastoreia sem espontaneidade, de má vontade e não é exemplo, problema seu ser liderado por ele.
Não existe pastor se não tiver rebanho. Não existe rebanho se não tiver ovelha e ovelha tem discernimento.
A figura de ovelha usada na bíblia, muitas vezes, passa a idéia de um animal irracional, impensante e manso. É tão verdade isso que se identificarmos alguém com aparência humilde, que não reclama da vida, que mal abre a boca pra falar alguma coisa, dizemos: "É uma ovelha". Mas se o camarada é daqueles faladores, que dão opinião sobre tudo reclama e etc. dizemos: "é bode".
O problema é que nos esquecemos do que Jesus disse em João 10.5, “de modo algum seguirão o estranho, antes fugirão dele, porque não conhecem a voz dos estranhos”.
As ovelhas ouvem e tem capacidade de discernimento e usa seu melhor mecanismo de defesa: foge dos estranhos. A propósito, a bíblia ensina que dos estranhos temos mais é que ter cuidado.
Acautelai-vos dos cães; acautela-vos dos maus obreiros; acautelai-vos da falsa circuncisão. Fil. 3.2
Que tipo de pastor não te acrescenta absolutamente nada?
Aquele que te apascenta por força. É possível que um pastor use de forças para apascentar seu rebanho? Sim. Você não precisa fazer muito esforço para encontrá-lo, eles tem algumas marcas inconfundíveis:
Para eles todas as demais igrejas são frias, só a dele é fervorosa.
Para eles as pessoas que saem de suas igrejas estão debaixo de maldição.
Para eles a vida de quem pastoreia é intocável em nome de “ai daquele que tocar no ungido do Senhor”.

Aquele que te apascenta por torpe ganância. Não é incomum encontrarmos pessoas que estão no ministério pastoral por pura ganância. São os amantes de Mamon. É fácil encontrar aqueles que estão no ministério apenas por interesses mesquinhos.
Aqueles que acharam no ministério uma oportunidade de provar pra si e pra as pessoas que eles também são capazes. O que existe de gente frustrada consigo mesma e que acha na igreja a oportunidade de provar que é capaz não é brincadeira. O centro de todas as coisas são eles mesmos.
Aqueles que trocam seu rebanho pela primeira oferta de aumento financeiro por outra igreja ou ministério. Seu lema é: quem paga mais? Isso vale para aqueles que só atendem igrejas grandes e famosas. Se de um lado eles estão errados, erram também aqueles que não dão a devida honra para seus respectivos pastores ou convidados.
Aqueles que apascentam por domínio. Quem é pastor de ovelhas vai à frente e as ovelhas o seguem, “em vez de estar atrás, empurrando-o”.

Que tipo de pastor pode te acrescentar alguma coisa?
Aquele que te apascenta espontaneamente. O sentido aqui é “apascentar do modo como Deus o faria”. No que depender de Deus Ele já fez tudo pra te ter, pra te alimentar com o melhor alimento que é a Sua Palavra. Ele continua fazendo todo esforço pra te ter como Jesus falou sobre Jerusalém. “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejam os que a te são enviados! Quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta a sua ninhada debaixo das asas, e não quiseste” (Lc.13.34).
Algo que ninguém pode fazer, nem mesmo Deus fará. Deus quer que você mesmo se permita ser ajuntado, apascentado. Ele sempre fará, mas você precisa se deixar ser cuidado por Deus.
Pastoreio é isto. A vontade do pastor não é suficiente, é necessário participação, aceitação mútua, porque cada um é livre pra fazer o que quiser.
Se Deus dar a liberdade de decisão pra todas as pessoas, o pastor, como representante de Deus precisa agir do mesmo modo. Cada um é livre pra decidir o que fazer e nem por isso fazemos tudo o que queremos, por quê? Porque o amor de Deus nos constrange.
Este texto é uma daqueles que chamo auto-explicativo. Por si mesmo ele se explica. Não é um texto difícil de ser entendido. Pedro diz como o pastor não deve e como deve apascentar o rebanho de Deus.
Lendo ou ouvindo este texto temos a tendência de achar que é um texto para pastores, apenas para aqueles que estão na liderança e parece que os que são apascentados, liderados ficam à mercê esperando que um pastor com tais características se manifeste e de alguma forma os abençoe.
Nenhum cristão deveria aceitar a liderança de um pastor que não atenda a estes requisitos. Ou seja: Se ele te apascenta por força, por torpe ganância e como dominador você passa a ser cúmplice por permitir ser apascentado por um individuo desse tipo. Se ele pastoreia sem espontaneidade, de má vontade e não é exemplo, problema seu ser liderado por ele.
Não existe pastor se não tiver rebanho. Não existe rebanho se não tiver ovelha e ovelha tem discernimento.
A figura de ovelha usada na bíblia, muitas vezes, passa a idéia de um animal irracional, impensante e manso. É tão verdade isso que se identificarmos alguém com aparência humilde, que não reclama da vida, que mal abre a boca pra falar alguma coisa, dizemos: "É uma ovelha". Mas se o camarada é daqueles faladores, que dão opinião sobre tudo reclama e etc. dizemos: "é bode".
O problema é que nos esquecemos do que Jesus disse em João 10.5, “de modo algum seguirão o estranho, antes fugirão dele, porque não conhecem a voz dos estranhos”.
As ovelhas ouvem e tem capacidade de discernimento e usa seu melhor mecanismo de defesa: foge dos estranhos. A propósito, a bíblia ensina que dos estranhos temos mais é que ter cuidado.
Acautelai-vos dos cães; acautela-vos dos maus obreiros; acautelai-vos da falsa circuncisão. Fil. 3.2
Que tipo de pastor não te acrescenta absolutamente nada?
Aquele que te apascenta por força. É possível que um pastor use de forças para apascentar seu rebanho? Sim. Você não precisa fazer muito esforço para encontrá-lo, eles tem algumas marcas inconfundíveis:
Para eles todas as demais igrejas são frias, só a dele é fervorosa.
Para eles as pessoas que saem de suas igrejas estão debaixo de maldição.
Para eles a vida de quem pastoreia é intocável em nome de “ai daquele que tocar no ungido do Senhor”.

Aquele que te apascenta por torpe ganância. Não é incomum encontrarmos pessoas que estão no ministério pastoral por pura ganância. São os amantes de Mamon. É fácil encontrar aqueles que estão no ministério apenas por interesses mesquinhos.
Aqueles que acharam no ministério uma oportunidade de provar pra si e pra as pessoas que eles também são capazes. O que existe de gente frustrada consigo mesma e que acha na igreja a oportunidade de provar que é capaz não é brincadeira. O centro de todas as coisas são eles mesmos.
Aqueles que trocam seu rebanho pela primeira oferta de aumento financeiro por outra igreja ou ministério. Seu lema é: quem paga mais? Isso vale para aqueles que só atendem igrejas grandes e famosas. Se de um lado eles estão errados, erram também aqueles que não dão a devida honra para seus respectivos pastores ou convidados.
Aqueles que apascentam por domínio. Quem é pastor de ovelhas vai à frente e as ovelhas o seguem, “em vez de estar atrás, empurrando-o”.

Que tipo de pastor pode te acrescentar alguma coisa?
Aquele que te apascenta espontaneamente. O sentido aqui é “apascentar do modo como Deus o faria”. No que depender de Deus Ele já fez tudo pra te ter, pra te alimentar com o melhor alimento que é a Sua Palavra. Ele continua fazendo todo esforço pra te ter como Jesus falou sobre Jerusalém. “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejam os que a te são enviados! Quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta a sua ninhada debaixo das asas, e não quiseste” (Lc.13.34).
Algo que ninguém pode fazer, nem mesmo Deus fará. Deus quer que você mesmo se permita ser ajuntado, apascentado. Ele sempre fará, mas você precisa se deixar ser cuidado por Deus.
Pastoreio é isto. A vontade do pastor não é suficiente, é necessário participação, aceitação mútua, porque cada um é livre pra fazer o que quiser.
Se Deus dar a liberdade de decisão pra todas as pessoas, o pastor, como representante de Deus precisa agir do mesmo modo. Cada um é livre pra decidir o que fazer e nem por isso fazemos tudo o que queremos, por quê? Porque o amor de Deus nos constrange.
Que tipo de pastor não te acrescenta absolutamente nada?
Aquele que te apascenta por força. É possível que um pastor use de forças para apascentar seu rebanho? Sim. Você não precisa fazer muito esforço para encontrá-lo, eles tem algumas marcas inconfundíveis:
Para eles todas as demais igrejas são frias, só a dele é fervorosa.
Para eles as pessoas que saem de suas igrejas estão debaixo de maldição.
Para eles a vida de quem pastoreia é intocável em nome de “ai daquele que tocar no ungido do Senhor”.

Aquele que te apascenta por torpe ganância. Não é incomum encontrarmos pessoas que estão no ministério pastoral por pura ganância. São os amantes de Mamon. É fácil encontrar aqueles que estão no ministério apenas por interesses mesquinhos.
Aqueles que acharam no ministério uma oportunidade de provar pra si e pra as pessoas que eles também são capazes. O que existe de gente frustrada consigo mesma e que acha na igreja a oportunidade de provar que é capaz não é brincadeira. O centro de todas as coisas são eles mesmos.
Aqueles que trocam seu rebanho pela primeira oferta de aumento financeiro por outra igreja ou ministério. Seu lema é: quem paga mais? Isso vale para aqueles que só atendem igrejas grandes e famosas. Se de um lado eles estão errados, erram também aqueles que não dão a devida honra para seus respectivos pastores ou convidados.
Aqueles que apascentam por domínio. Quem é pastor de ovelhas vai à frente e as ovelhas o seguem, “em vez de estar atrás, empurrando-o”.

Que tipo de pastor pode te acrescentar alguma coisa?
Aquele que te apascenta espontaneamente. O sentido aqui é “apascentar do modo como Deus o faria”. No que depender de Deus Ele já fez tudo pra te ter, pra te alimentar com o melhor alimento que é a Sua Palavra. Ele continua fazendo todo esforço pra te ter como Jesus falou sobre Jerusalém. “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejam os que a te são enviados! Quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta a sua ninhada debaixo das asas, e não quiseste” (Lc.13.34).
Algo que ninguém pode fazer, nem mesmo Deus fará. Deus quer que você mesmo se permita ser ajuntado, apascentado. Ele sempre fará, mas você precisa se deixar ser cuidado por Deus.
Pastoreio é isto. A vontade do pastor não é suficiente, é necessário participação, aceitação mútua, porque cada um é livre pra fazer o que quiser.
Se Deus dar a liberdade de decisão pra todas as pessoas, o pastor, como representante de Deus precisa agir do mesmo modo. Cada um é livre pra decidir o que fazer e nem por isso fazemos tudo o que queremos, por quê? Porque o amor de Deus nos constrange.
Aquele que te apascenta por força. É possível que um pastor use de forças para apascentar seu rebanho? Sim. Você não precisa fazer muito esforço para encontrá-lo, eles tem algumas marcas inconfundíveis:
Para eles todas as demais igrejas são frias, só a dele é fervorosa.
Para eles as pessoas que saem de suas igrejas estão debaixo de maldição.
Para eles a vida de quem pastoreia é intocável em nome de “ai daquele que tocar no ungido do Senhor”.
Aquele que te apascenta por torpe ganância. Não é incomum encontrarmos pessoas que estão no ministério pastoral por pura ganância. São os amantes de Mamon. É fácil encontrar aqueles que estão no ministério apenas por interesses mesquinhos.
Aqueles que acharam no ministério uma oportunidade de provar pra si e pra as pessoas que eles também são capazes. O que existe de gente frustrada consigo mesma e que acha na igreja a oportunidade de provar que é capaz não é brincadeira. O centro de todas as coisas são eles mesmos.
Aqueles que trocam seu rebanho pela primeira oferta de aumento financeiro por outra igreja ou ministério. Seu lema é: quem paga mais? Isso vale para aqueles que só atendem igrejas grandes e famosas. Se de um lado eles estão errados, erram também aqueles que não dão a devida honra para seus respectivos pastores ou convidados.
Aqueles que apascentam por domínio. Quem é pastor de ovelhas vai à frente e as ovelhas o seguem, “em vez de estar atrás, empurrando-o”.

Que tipo de pastor pode te acrescentar alguma coisa?
Aquele que te apascenta espontaneamente. O sentido aqui é “apascentar do modo como Deus o faria”. No que depender de Deus Ele já fez tudo pra te ter, pra te alimentar com o melhor alimento que é a Sua Palavra. Ele continua fazendo todo esforço pra te ter como Jesus falou sobre Jerusalém. “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejam os que a te são enviados! Quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta a sua ninhada debaixo das asas, e não quiseste” (Lc.13.34).
Algo que ninguém pode fazer, nem mesmo Deus fará. Deus quer que você mesmo se permita ser ajuntado, apascentado. Ele sempre fará, mas você precisa se deixar ser cuidado por Deus.
Pastoreio é isto. A vontade do pastor não é suficiente, é necessário participação, aceitação mútua, porque cada um é livre pra fazer o que quiser.
Se Deus dar a liberdade de decisão pra todas as pessoas, o pastor, como representante de Deus precisa agir do mesmo modo. Cada um é livre pra decidir o que fazer e nem por isso fazemos tudo o que queremos, por quê? Porque o amor de Deus nos constrange.
Aquele que te apascenta por torpe ganância. Não é incomum encontrarmos pessoas que estão no ministério pastoral por pura ganância. São os amantes de Mamon. É fácil encontrar aqueles que estão no ministério apenas por interesses mesquinhos.
Aqueles que acharam no ministério uma oportunidade de provar pra si e pra as pessoas que eles também são capazes. O que existe de gente frustrada consigo mesma e que acha na igreja a oportunidade de provar que é capaz não é brincadeira. O centro de todas as coisas são eles mesmos.
Aqueles que trocam seu rebanho pela primeira oferta de aumento financeiro por outra igreja ou ministério. Seu lema é: quem paga mais? Isso vale para aqueles que só atendem igrejas grandes e famosas. Se de um lado eles estão errados, erram também aqueles que não dão a devida honra para seus respectivos pastores ou convidados.
Aqueles que apascentam por domínio. Quem é pastor de ovelhas vai à frente e as ovelhas o seguem, “em vez de estar atrás, empurrando-o”.
Que tipo de pastor pode te acrescentar alguma coisa?
Aquele que te apascenta espontaneamente. O sentido aqui é “apascentar do modo como Deus o faria”. No que depender de Deus Ele já fez tudo pra te ter, pra te alimentar com o melhor alimento que é a Sua Palavra. Ele continua fazendo todo esforço pra te ter como Jesus falou sobre Jerusalém. “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejam os que a te são enviados! Quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta a sua ninhada debaixo das asas, e não quiseste” (Lc.13.34).
Algo que ninguém pode fazer, nem mesmo Deus fará. Deus quer que você mesmo se permita ser ajuntado, apascentado. Ele sempre fará, mas você precisa se deixar ser cuidado por Deus.
Pastoreio é isto. A vontade do pastor não é suficiente, é necessário participação, aceitação mútua, porque cada um é livre pra fazer o que quiser.
Se Deus dar a liberdade de decisão pra todas as pessoas, o pastor, como representante de Deus precisa agir do mesmo modo. Cada um é livre pra decidir o que fazer e nem por isso fazemos tudo o que queremos, por quê? Porque o amor de Deus nos constrange.
Que tipo de pastor pode te acrescentar alguma coisa?
Aquele que te apascenta espontaneamente. O sentido aqui é “apascentar do modo como Deus o faria”. No que depender de Deus Ele já fez tudo pra te ter, pra te alimentar com o melhor alimento que é a Sua Palavra. Ele continua fazendo todo esforço pra te ter como Jesus falou sobre Jerusalém. “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejam os que a te são enviados! Quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta a sua ninhada debaixo das asas, e não quiseste” (Lc.13.34).
Algo que ninguém pode fazer, nem mesmo Deus fará. Deus quer que você mesmo se permita ser ajuntado, apascentado. Ele sempre fará, mas você precisa se deixar ser cuidado por Deus.
Pastoreio é isto. A vontade do pastor não é suficiente, é necessário participação, aceitação mútua, porque cada um é livre pra fazer o que quiser.
Se Deus dar a liberdade de decisão pra todas as pessoas, o pastor, como representante de Deus precisa agir do mesmo modo. Cada um é livre pra decidir o que fazer e nem por isso fazemos tudo o que queremos, por quê? Porque o amor de Deus nos constrange.
Aquele que te apascenta espontaneamente. O sentido aqui é “apascentar do modo como Deus o faria”. No que depender de Deus Ele já fez tudo pra te ter, pra te alimentar com o melhor alimento que é a Sua Palavra. Ele continua fazendo todo esforço pra te ter como Jesus falou sobre Jerusalém. “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejam os que a te são enviados! Quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta a sua ninhada debaixo das asas, e não quiseste” (Lc.13.34).
Algo que ninguém pode fazer, nem mesmo Deus fará. Deus quer que você mesmo se permita ser ajuntado, apascentado. Ele sempre fará, mas você precisa se deixar ser cuidado por Deus.
Pastoreio é isto. A vontade do pastor não é suficiente, é necessário participação, aceitação mútua, porque cada um é livre pra fazer o que quiser.
Se Deus dar a liberdade de decisão pra todas as pessoas, o pastor, como representante de Deus precisa agir do mesmo modo. Cada um é livre pra decidir o que fazer e nem por isso fazemos tudo o que queremos, por quê? Porque o amor de Deus nos constrange.
Aquele que te apascenta de boa vontade. Lidar com gente é uma das coisas mais espetaculares na vida. Você sabe quando uma pessoa faz algo mais pela obrigação do que pelo prazer não sabe? Todo vocês sabem se aquilo que nós pastores, fazemos, é feito de boa vontade ou não.
Apascentar de boa vontade é não deixar que as esquisitices dos outros alterem seu prazer de servir.
Apascentar de boa vontade é não fazer o ministério por obrigação, por dever, por imposição, mas de boa mente e por amor.
Aquele que te apascenta te servindo de exemplo. Quero resumir minha fala neste ultimo tópico falando de três coisas que você precisa encontrar na vida do pastor.
Exemplo de amor a Deus. Grande parte dos livros que falam do ministério pastoral fala da relação do pastor com as pessoas e pouco sobre a relação do pastor com Deus. Talvez por isso encontramos pastores cheio de si, letrados na palavra, mas sem nenhuma sensibilidade às coisas de Deus. Cai naquilo que Isaias escreveu. “Esse povo me honra com os lábios, mas o coração está longe de mim”.
Exemplo de amor à Palavra de Deus. Se a lei do Senhor não é o prazer do pastor ele coloca em risco a vida dele e a vida dos outros. Amar a palavra de Deus é a melhor arma de defesa e de ataque que todos nós precisamos ter.
Quem ama a Palavra de Deus não usa as pessoas para beneficio pessoal.
Quem ama a Palavra de Deus não se relaciona com os outros contando com o que podem receber, mas sobre o que podem dar.
Exemplo de amor às vidas. Minha relação com cada ovelha que pastoreio não tem sentido algum se não estiver alicerçada no amor. 
Aquele que te apascenta de boa vontade. Lidar com gente é uma das coisas mais espetaculares na vida. Você sabe quando uma pessoa faz algo mais pela obrigação do que pelo prazer não sabe? Todo vocês sabem se aquilo que nós pastores, fazemos, é feito de boa vontade ou não.
Apascentar de boa vontade é não deixar que as esquisitices dos outros alterem seu prazer de servir.
Apascentar de boa vontade é não fazer o ministério por obrigação, por dever, por imposição, mas de boa mente e por amor.
Aquele que te apascenta te servindo de exemplo. Quero resumir minha fala neste ultimo tópico falando de três coisas que você precisa encontrar na vida do pastor.
Exemplo de amor a Deus. Grande parte dos livros que falam do ministério pastoral fala da relação do pastor com as pessoas e pouco sobre a relação do pastor com Deus. Talvez por isso encontramos pastores cheio de si, letrados na palavra, mas sem nenhuma sensibilidade às coisas de Deus. Cai naquilo que Isaias escreveu. “Esse povo me honra com os lábios, mas o coração está longe de mim”.
Exemplo de amor à Palavra de Deus. Se a lei do Senhor não é o prazer do pastor ele coloca em risco a vida dele e a vida dos outros. Amar a palavra de Deus é a melhor arma de defesa e de ataque que todos nós precisamos ter.
Quem ama a Palavra de Deus não usa as pessoas para beneficio pessoal.
Quem ama a Palavra de Deus não se relaciona com os outros contando com o que podem receber, mas sobre o que podem dar.
Exemplo de amor às vidas. Minha relação com cada ovelha que pastoreio não tem sentido algum se não estiver alicerçada no amor. 
Aquele que te apascenta te servindo de exemplo. Quero resumir minha fala neste ultimo tópico falando de três coisas que você precisa encontrar na vida do pastor.
Exemplo de amor a Deus. Grande parte dos livros que falam do ministério pastoral fala da relação do pastor com as pessoas e pouco sobre a relação do pastor com Deus. Talvez por isso encontramos pastores cheio de si, letrados na palavra, mas sem nenhuma sensibilidade às coisas de Deus. Cai naquilo que Isaias escreveu. “Esse povo me honra com os lábios, mas o coração está longe de mim”.
Exemplo de amor à Palavra de Deus
Exemplo de amor à Palavra de Deus. Se a lei do Senhor não é o prazer do pastor ele coloca em risco a vida dele e a vida dos outros. Amar a palavra de Deus é a melhor arma de defesa e de ataque que todos nós precisamos ter.
Quem ama a Palavra de Deus não usa as pessoas para beneficio pessoal.
Quem ama a Palavra de Deus não se relaciona com os outros contando com o que podem receber, mas sobre o que podem dar.
Exemplo de amor às vidas. Minha relação com cada ovelha que pastoreio não tem sentido algum se não estiver alicerçada no amor.


Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, não por força, mas espontaneamente segundo a vontade de Deus; nem por torpe ganância, mas de boa vontade; nem como dominadores sobre os que vos foram confiados, mas servindo de exemplo ao rebanho. (1 Pd. 5.2,3).

Pastorear espontaneamente é agir por liberdade. É agir livre e liberto de todo e qualquer tipo de preconceito sabendo que não adianta quantas pessoas na vida nos aprovam se somos reprovados por Deus, como não importa quantas pessoas desagradamos se somos aprovados por Deus. Pastorear espontaneamente é te ensinar o caminho, mas a decisão é sua.

Quero ser um pastor alguém que acrescenta.

Josenilton Pinheiro

Um comentário:

pekkenna disse...

Muito bom artigo, alias tenho sdo edificada com cada artigo, Que Deus continue te inspirando e que possamos recorrer a teu bolg para sermos alimentados e saiamos fartos.Todos os pastores deveriam ler esse artigo e coloca-lo em pratica, refletir do que tem sido feito da arte de pasotorear. Deus te abencoe e nos ajude a sermos pessoas que acrescentam.


Ana Paula Oliveira, missionaria Senegal